terça-feira, 1 de maio de 2018

O que você precisa saber sobre a GDPR?

Será que a nova regulamentação europeia pode impactar as suas ações de marketing digital aqui no Brasil? O que você precisa saber sobre a nova lei e como estar preparado para as mudanças futuras?

O que você precisa saber sobre a GDPR


A GDPR (General Data Protection Regulation - ou Regulamento Geral de Proteção de Dados) é uma nova lei europeia com previsão de entrar em vigor no dia 25 de maio, criada para regulamentar a maneira como empresas obtêm, guardam, gerenciam e processam dados pessoas de cidadãos dos 28 países da União Europeia.

Se você ainda não se deu conta, o mundo em que você vive hoje é extremamente conectado e você fornece seus dados à todo momento. Desde de quando você ativa seu primeiro smartphone até quando você fornece seus dados para o cadastro da padaria da esquina, estes dados estão conectados e online.

Quando você visita um site, entra no Facebook ou qualquer outra rede social, suas informações são coletadas e monitoradas para uso de publicidade, por exemplo.

Pensando na proteção dos dados dos cidadãos surgiu a nova regulamentação GDPR que entrará em vigor no próximo dia 25 na Europa.

Explicando de forma mais simples, à partir desta data todas as empresas da Europa que trabalham com dados das pessoas terão que criar configurações de privacidade em seus produtos e propriedades digitais, além de fornecerem explicações sobre a maneira como buscam permissão para usar estes dados.

MAS SE A REGULAMENTAÇÃO É SÓ PARA UNIÃO EUROPEIA, POR QUE EU PRECISO ME PREOCUPAR COM ISSO?


Apesar de ser um conjunto de regras da União Europeia, essa mudança vai causar impacto no mundo todo. Mesmo que uma empresa não esteja localizada em países da União Europeia, a GDPR poderá ser aplicada caso ela controle ou processe dados de cidadãos desta região.

Desde grandes instituições à pequenas plataformas de e-commerce, se há coleta ou tratamento de dados pessoais de um indivíduo que está no território da União Europeia, de forma relacionada à oferta de bens ou serviços, ainda que fornecidos gratuitamente, haverá sujeição às normas do GDPR.

Se você trabalha com uma estratégia de marketing internacional, por exemplo, é bom estar atento, pois provavelmente sua base de contatos coletados se encaixe na nova regulamentação.

E O QUE MUDA COM A GDPR?

Para quem trabalha com marketing digital, onde estratégias de coletas de dados são essenciais (como landing pages que coletam nome e e-mail) e possam acabar coletando dados de cidadãos da união europeia é preciso estar atento às novas regras. E mesmo que você não tenha leads desta região, recomendo que fique atento, pois outros países já estão discutindo também suas regras, baseando-se na GDPR.



  • Com a GDPR as empresas que coletam dados precisarão comunicar claramente qual é o propósito dos dados coletados e o usuário precisa concordar que a empresa utilize estes dados.
  • O usuário terá total direito de desistir do consentimento e a empresa precisa comunicar claramente este direito.
  • As empresas deverão coletar apenas os dados necessários e adequados que condizem com o propósito comunicado.
  • A empresa deve ser capaz de provar que a pessoa consentiu com a coleta e processamento dos dados fornecidos.
  • Não bastará apenas um texto em um formulário que informa que a pessoa está consentindo com o uso dos seus dados. Será necessário uma confirmação mais específica, como por exemplo pedir que o usuário marque uma opção no formulário consentindo o uso dos dados fornecidos.
  • Os dados coletados só poderão ser usados para o propósito que foi especificado no momento da coleta. Usar os dados para outro propósito será considerado violação das regulamentações da GDPR.
  • Será de total responsabilidade da empresa guardar os dados dos usuários de forma segura. As empresas terão de tomar as devidas medidas contra perda, acesso ou roubo das informações fornecidas.
  • As empresas só poderão guardar as informações pelo período necessário para concluir o uso proposto no momento da coleta dos dados. E para isso deverão ser criadas políticas de retenção de dados, que determinarão em quais ocasiões e por quanto tempo as informações serão armazenadas.
  • Se o usuário pedir que suas informações sejam eliminadas da base de dados da empresa, ela será obrigada a apagar todas as informações de sua base, e também de qualquer fornecedor ou sistema que armazenam e processam estes dados em nome da empresa.


Estas são algumas das principais mudanças e obrigações que entram em vigor com a GDPR. E apesar delas entrarem em vigor somente para a União Europeia, é bom que você esteja atento, pois com certeza essa nova regulamentação vai impactar o mundo todo e muito em breve poderemos esperar regulamentações parecidas em todos os países, inclusive aqui no Brasil.

MAS E AQUI NO BRASIL, COMO LIDAMOS COM A PROTEÇÃO DE DADOS?

Aqui no Brasil, especialistas estimam que uma lei de proteção de dados só seja aprovada em dois anos. Porém, o governo brasileiro tem voltado a atenção para o assunto e a legislação poderá se basear na GDPR.

A proteção de dados é um assunto que deve ainda ser muito discutido no mundo todo, e muitas medidas ainda devem ser ajustadas para que usuários tenham o devido controle de sua privacidade, e empresas possam utilizar os dados de forma íntegra.

Sobre o autor

JAMES WILLIAM | Social Media / Designer

Co-fundador da YouSee Marketing Digital. Trabalha com tecnologia a mais de 15 anos, com foco em Marketing Digital desde 2011. Designer apaixonado por criar Marcas, por Mídias Sociais e viciado em aprender e compartilhar conteúdo.



Só envio conteúdo interessante, sem spam. E você pode se descadastrar quando quiser