Faça parte da lista vip!

Receba novos conteúdos por e-mail
Siga-me

Desvendando o Algoritmo do Facebook em 2019



 James William     fevereiro 22, 2019    Marcadores: 
Algoritmo do Facebook

Aprenda a lidar com o algoritmo do Facebook, o mais temido e polêmico a Internet.

Vivemos em um mundo onde pequenos códigos matemáticos se tornaram o centro da maioria das coisas que acontecem ao nosso redor. Quando você faz uma pesquisa no Google, dá uma vasculhada nas redes sociais, abre o Spotify para ouvir uma música ou busca um produto no Mercado Livre ou Amazon, tudo é influenciado por algum algoritmo que orienta o suas decisões ou escolhas.

Pode parecer bizarro, mas em geral, os algoritmos estão lá para ajudá-lo. Com a quantidade infinita de informação produzida diariamente na rede, seria impossível tomar decisões, escolher um produto ou mesmo encontrar alguma informação realmente relevante em uma pesquisa sem a ajuda dos algoritmos.

Mas meu foco neste artigo não é falar sobre todos os algoritmos em geral. Vamos nos atentar em apenas um (o meu preferido de todos)

O Algoritmo do Facebook

O Algoritmo do Facebook com certeza é o mais famoso (e polêmico) do mundo. Já foi o centro das atenções em várias polêmicas nos últimos anos envolvendo situações principalmente relacionadas a política.

O fato é que ele está em constante evolução, já que o Facebook vive uma luta constante para entregar mais valor perceptível aos usuários e na minha opinião, é absolutamente justo dizer que ele esteve no centro das atenções pelas razões erradas nos últimos anos.

O funcionamento dele é simplesmente fantástico, e se você é daqueles que vive de “mimimi” por que seu “alcance orgânico morreu”, ou “o Facebook não entrega suas publicações” e blá blá blá, economize seu tempo e nem continue a ler este artigo...

O acúmulo de informações negativas sobre o Facebook (e seu algoritmo) levou a empresa a tomar medidas rápidas e drásticas para interromper o compartilhamento de conteúdo “não positivo” que “deixas as pessoas se sentindo mal ou tristes”.

E a nova regar é clara. O algoritmo prioriza “interações sociais significativas”.

O próprio Mark Zuckerber fez um post na rede social onde deixou claro:

“Estamos fazendo uma grande mudança na forma como construímos o Facebook. Estou mudando a meta que dou às nossas equipes de produto, para que se concentrem em ajudá-lo a encontrar conteúdo relevante, para ajudá-lo a ter interações sociais mais significativas.”

Isto significa que o algoritmo do Facebook passou a priorizar o conteúdo que proporciona conversas entre amigos e familiares, deixando de lado o clickbait e links para sites externos.

Mas o que são essas interações significativas?

➽ Uma pessoa comentando na foto ou status de outra pessoa;
➽ Uma pessoa reagindo a uma postagem de uma página, compartilhada por um amigo;
➽ Várias pessoas respondendo os comentários uns dos outros em um vídeo ou em um artigo que receberam no feed;
➽ Uma pessoa compartilhando um link pelo Messenger para iniciar uma conversa com um grupo de amigos.

E aí você me pergunta, vale à pena o esforço para produzir um conteúdo genuíno, capaz de ativar estas interações? (Visto que produzir conteúdo não é uma tarefa nada fácil). E eu te respondo que, considerando o tamanho e dominância da rede, absolutamente SIM! E se você ainda não se adaptou está perdendo tempo (e em muitos casos, dinheiro).

“Adapte-se ou morra...”

O que sabemos sobre o Algoritmo do Facebook em 2019

➽ O Facebook confirmou oficialmente que não compartilha seu conteúdo inicialmente com 26 pessoas;

➽ Uma postagem é veiculada para uma pequena quantidade de pessoas para avaliar o engajamento inicial;

➽ O algoritmo do Facebook prioriza conteúdos que estimulem uma conversa entre amigos e familiares;

➽ Também prioriza os links compartilhados pelo Messenger;

➽ A credibilidade de um usuário (histórico de compartilhamentos e etc.) é um fator de classificação;

➽ O conteúdo de uma FanPage que é compartilhado por um usuário e gera discussões (comentários e interações) adicionais é priorizado;

➽ Os vídeos ao vivo (lives) são priorizados pois recebem mais interações;

➽ As postagens de vídeos nativos recebem muito mais envolvimento do que uma postagem com link externo de um vídeo (do Youtube por exemplo).

➽ O envolvimento é baseado em um sistema de pontos;

➽ Postagens com comentários mais longos receberão uma pontuação maior;

➽ O conteúdo NATIVO sempre tem prioridade em relação a conteúdos com links externos;

➽ Clickbait’s e “iscas de engajamento” (pedir para que as pessoas curtam, compartilhem e etc.) perdem pontuação;

➽ Conteúdo sensacionalista é MARCADO pelo algoritmo;

➽ Conteúdos com manchetes falsas e “Fake News” serão penalizados pelo algoritmo;



Como fazer o algoritmo do Facebook trabalhar a seu favor em 2019

Se você quer ter algum alcance orgânico na plataforma e continuar tirando um bom proveito da grande audiência do Facebook, vai precisar se adaptar às novas regras para fazer o algoritmo trabalhar a seu favor. Então...

➽ Crie conteúdo com objetivo de gerar mais conversas/discussões entre os usuários.

Este é um ponto crucial e qualquer um que queira se dar bem na plataforma precisa produzir conteúdo que seja capaz de ativar as pessoas e gerar comentários e novas discussões sobre o assunto.

➽ Produza conteúdo NATIVO

Conteúdo nativo é aquele conteúdo publicado diretamente no Facebook. Um vídeo ou foto publicado diretamente na plataforma, por exemplo. E o Facebook quer que você crie conteúdo para a plataforma, então se você quer direcionar tráfego para seu site, vai precisar jogar com estratégia. Seja um produtor de conteúdo nativo, um colaborador para a plataforma em primeiro lugar.

➽ Faça lives (vídeos ao vivo) para aumentar o envolvimento sempre que possível

Está claro que os conteúdos ao vivo serão priorizados pois geram seis vezes mais envolvimento do que qualquer outro tipo de conteúdo. E qualquer coisa que aumente seu engajamento vale a pena!

➽ Produza Vídeos

Os dados continuam a reafirmar que vídeos DE QUALIDADE, e NATIVOS vão continuar sendo priorizados pelo algoritmo. Então defina uma estratégia que inclua vídeos com conteúdo relevante para sua audiência.

➽ Seja exigente com o que você publica ou compartilha

Não compartilhe tudo que você vê ou publique todo conteúdo que você tem. Se ele não gerar engajamento, sua pontuação de credibilidade vai diminuir, e consequentemente o seu alcance também. Publique apenas conteúdo que considere adequado para seu público-alvo.

➽ Absolutamente, não use Clickbait, isca de engajamento ou conteúdo excessivamente promocional

O Algoritmo vai penalizar o Clickbait, as Fake News, os artigos sensacionalistas e o conteúdo que pede aos usuários para curtirem, comentarem ou compartilharem. Sabe os sorteios que pedem curtidas, compartilhamentos e etc. Pois é, ABSOLUTAMENTE NÃO FAÇA ISSO!

Concluindo...

Eu sei que não é uma tarefa nada fácil, e que a grande maioria sequer chegará ao fim deste artigo, muito menos aplicará o que está aqui descrito. O fato é que, a evolução é constante, e cada vez mais você que é profissional das mídias precisa estar atento e se adaptar as mudanças. E cada vez mais, aquele que se dedicar e andar conforme as regras e recomendações vai se destacar.

Então fica a dica, com esta frase novamente:

“Adapte-se ou morra...”

Navegue com o algoritmo do Facebook, e não Naufrague nele! ;)

==================
Traduzido e adaptado do artigo original de Ste Davis: https://www.stedavies.com/social-media-algorithms-guide/

James William

Gestor de Tráfego com foco em Facebook/Instagram ADS. Viciado em Aprender e Compartilhar conteúdo. Apaixonado por Design de Marcas, Marketing digital e Mídias Sociais.


logo

Gestor de Tráfego com foco em Facebook/Instagram ADS. Viciado em Aprender e Compartilhar conteúdo. Apaixonado por Design de Marcas, Marketing digital e Mídias Sociais.

O conteúdo apresentado neste site não representa nenhum tipo de parceria ou vínculo com o Facebook, Instagram, Whatsapp ou qualquer um de seus produtos e aplicativos. Também não são uma promessa ou garantia de ganhos ou resultados futuros.

Eu, James William, não garanto o seu sucesso ou nível de renda, através do uso de meus produtos, informações, estratégias ou recomendações, nem sou responsável ​​por quaisquer de suas ações.